segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Aquecimento Global


        O aquecimento climático porá em risco a existência de várias espécies da fauna e da flora, advertiram especialistas mundiais sobre clima reunidos em Bruxelas. O Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês) afirmou que as primeiras vítimas desse fenômeno serão os ursos polares e os corais.

       O IPCC publicará nesta sexta-feira o segundo capítulo de seu relatório, desta vez dedicado às conseqüências do fenômeno. "É muito provável que a mudança climática signifique a extinção de várias espécies e uma redução da biodiversidade dos ecossistemas", segundo o projeto de documento. Entre 20% e 30% das espécies estão ameaçadas de extinção neste século caso a temperatura média do planeta aumente entre 2°C e 3°C com relação a 1990.
      No Ártico, onde o ritmo do aquecimento é duas vezes mais rápido, os ursos polares estão diretamente ameaçados pela redução da camada de gelo. Em um primeiro momento, o aumento da temperatura e das emissões de gás carbônico podem ter efeitos positivos para o crescimento das plantas nas regiões temperadas. Mas, à medida que o calor aumenta, o fenômeno se inverte e a vegetação murcha.
     Em fevereiro, quando foi publicado o primeiro capítulo do informe, o IPCC previu uma alta de 1,8°C a 4°C da temperatura média do planeta até 2100 com relação aos níveis de 1990. Cada espécie reage de forma diferente ao calor e atinge mais ou menos rapidamente seu limite de resistência.
     Uma elevação de alguns décimos de grau já seria uma séria ameaça para os frágeis recifes de coral ou para a flora do deserto de Karoo, na África do Sul. Se os corais morrerem, também morrerá uma cadeia de outros invertebrados e as espécies que se alimentam deles, causando a diminuição de numerosos recursos econômicos.

Sem comentários:

Enviar um comentário