quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Ecopos : Copos ecológicos descartáveis de papel podem substituir o plástico


Esses copinhos de papel já estão sendo vendidos no Brasil e em breve esses Copos ecológicos descartáveis de papel podem substituir os copos descartáveis de plástico.
Já é do conhecimento de todos que copinhos plásticos são responsáveis por uma grande parcela do lixo que polui a natureza. Apesar de parecer prático, estes pequenos objetos causam problemas até para animais aquáticos que confundem o plástico com alimento e morrem sufocados. Porém uma nova tecnologia foi desenvolvida para manter a praticidade dos copinhos plásticos e aumentar o nível de sustentabilidade do produto.
Os copos ecológicos são compostos por um papel e um pequeno revestimento plástico. A invenção já existe em países asiáticos há pelo menos 10 anos e, só agora, a tecnologia foi importada e o produto é feito no Brasil.
Desenvolvidos pela empresa Ecopos, os copinhos são uma espécie de envelope com nove centímetros de altura por seis de comprimento. A capacidade de cada um é de 65 mililitros.
O objetivo da empresa é diminuir a quantidade de lixo produzida e ocupar menos espaço para armazenamento e transporte, o que, consequentemente, diminuiria também a quantidade de gases poluentes emitidos já que menos viagens seriam necessárias.
Os produtos são feitos com papel de fibras virgens (para evitar qualquer tipo de contaminação do material) reflorestadas, não possuem corantes e podem ser utilizados mais de uma vez.
Um copo ecológico é feito de papel, fácil de usar, e quando descartado não deixa resíduos tóxicos na natureza. O produto se degrada em até 18 meses.
“A vantagem de adquirir o nosso ‘ecopo’ é ter menos volume de lixo gerado. Além disso, ele é econômico porque é mais barato que o plástico e totalmente ecológico”, diz o gerente da empresa Stephano Shin em entrevista. Além de ecológico, os ecocopos são baratos: uma caixa com quatro mil copos sai por R$ 52,00.
O gerente também conta que como a embalagem é pequena, os ecopos podem também ajudar a evitar o desperdício de água. “Muita gente enche copos e acaba não consumindo tudo. Com copos menores, isso acontece menos. E quem quiser, pode sempre repertir”, comenta.
A novidade só não se adequa muito bem a bebidas quentes. Como o copo é feito de papel e é fino, o líquido poderia queimar a mão de quem segurasse. Os copinhos sustentáveis são produzidos em São Paulo e podem ser comprados através do site oficial da empresa.

Participe da nossa campanha da Água ,mande sua imagem sobre a escassez da Água em nosso Planeta para nosso mural do facebook ! Participe!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Rocinha: após ocupação, moradores pedem por serviços básicos na comunidade


População reclama de falta de saneamento básico e da péssima conservação das ruas

Moradores da favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro, que foi ocupada pela polícia na madrugada de domingo (13), para a instalação de uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora), sonham com a chegada de serviços básicos no local, como saneamento básico e recapeamento das ruas. A esperança, após a ocupação, é que esses antigos problemas, que há anos assolam a comunidade, sejam resolvidos.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

EMPRESA CRIA IMPRESSORA QUE NÃO USA TINTA NEM PAPEL


Quem disse que uma impressora precisa de tinta ou papel para existir? Conheça a Impressora PrePean. Diferente das convencionais, ela utiliza uma peça térmica para fazer as impressões em folhas plásticas feitas especialmente para isso. Além de serem à prova dágua, elas podem ser facilmente apagadas. É só colocá-las novamente na impressora que, através de outra temperatura, a próxima impressão ficará no lugar da anterior. A mágica faz com que apenas uma dessas folhas possa ser utilizada mil vezes.

LIXO EXTRAORDINÁRIO


Este filme estreou em: 21 de Janeiro de 2011

O documentário mostra o contato do artista plástico Vik Muniz com os catadores de material reciclável do Aterro do Jardim Gramacho, maior da América Latina, localizado no Rio de Janeiro. A partir da experiência, surge um novo combustível criativo para Vik e, como contrapartida, os catadores diminuem sua distância com a arte e conseguem condições melhores de vida.








CURIOSIDADES
- Documentário dirigido a seis mãos.


PRÊMIOS
- Melhor Filme (Público) da Mostra Panorama e Prêmio Anistia Internacional do Festival de Berlim de 2010.


- Melhor Documentário Internacional (Público) e Indicado ao Prêmio do Júri do Festival de Sundance 2010.


- Prêmio Especial do Júri em Paulínia 2010.


FICHA TÉCNICA
Diretor: Karen Harley, João Jardim, Lucy Walker
Elenco: - documentário -
Produção: Hank Levine, Angus Aynsley
Fotografia: Duda Miranda
Trilha Sonora: Moby, O Grivo
Duração: 90 min.
Ano: 2010
País: Brasil, Reino Unido
Gênero: Documentário
Cor: Colorido
Distribuidora: Downtown Filmes
Estúdio: O2 Filmes
Classificação: Livre

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Aprenda a fazer um pufe de Pet 600 ml



Você vai precisar de: 


- 32 garrafas pet de 600 ml: é muito importante que elas sejam todas iguais. 


- 2 rolos de fita adesiva transparente 


- 1 pedaço de papelão de 20 por 16 cm 


- 1 espuma densidade 33 também de 20 por 16 cm 


- 60 cm de tecido 


- Agulha e linha 


- Estilete 


- Tesoura 


- Pincel 


- Fita métrica 


- 80 cm de elástico 


Para a capa do assento: 


- Tnt 


- 100 ml de cola de sapateiro 


- Por causa do cheiro forte dessa cola, você vai precisar também de uma máscara como esta. 




Como fazer: 


- Comece pelas bases do pufe onde serão usadas as garrafa, que devem estar lavadas e secas. Pegue a primeira garrafa, feche bem. 
- Com uma segunda garrafa monte as peças que servirão de base. Corte com o estilete. 
- Você vai unir as duas bases com a fita adesiva. 
- Junte uma terceira peça também com a fita adesiva, sempre virando. 
- Bata para elas ficarem no mesmo nível. 
- Faça quatro peças utilizando as trinta e duas garrafas pet. Una duas bases de cada vez.
- Junte mais uma base com 16 garrafas de 600 ml. No caso, este é o 30 por 30. Envolva com a fita novamente, sempre apertando bem para não ficar frouxo. 
- Depois de unir as 32 garrafas é importante que você nivele todas elas para que o papelão e a espuma se encaixem perfeitamente na hora de preparar o assento do pufe. Coloque a máscara para trabalhar com a cola. 
- Passe a cola de sapateiro por todo o papelão espalhando bem. Depois fixe na base feita de garrafas. 
- Espere secar por quinze minutos. 
- Coloque a máscara novamente porque você vai passar a cola de sapateiro em uma das faces do saquinho de TNT. O TNT fixa melhor a espuma no papelão. 
- Espere secar por mais 15minutos no máximo. Agora vem a capa. 
- O molde para cortar o tecido que vai forrar os lados deve ter 66 cm de comprimento por 35 de largura. É preciso deixar uma margem para a costura. 
- O próximo passo é costurar o bolso. Pra não errar dobre o tecido ao meio, corte as pontas da dobra e isto vai servir de referência na hora de colocar o bolso no centro do tecido. 
- Costure o bolso e depois, com linha e agulha, você vai unir a peça com o tampo.
Você vai gastar R$ 7,80 e pode vender o pufe infantil por até R$ 25. Lembrando que ele suporta até 60kg

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Aquecimento Global


        O aquecimento climático porá em risco a existência de várias espécies da fauna e da flora, advertiram especialistas mundiais sobre clima reunidos em Bruxelas. O Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês) afirmou que as primeiras vítimas desse fenômeno serão os ursos polares e os corais.

       O IPCC publicará nesta sexta-feira o segundo capítulo de seu relatório, desta vez dedicado às conseqüências do fenômeno. "É muito provável que a mudança climática signifique a extinção de várias espécies e uma redução da biodiversidade dos ecossistemas", segundo o projeto de documento. Entre 20% e 30% das espécies estão ameaçadas de extinção neste século caso a temperatura média do planeta aumente entre 2°C e 3°C com relação a 1990.
      No Ártico, onde o ritmo do aquecimento é duas vezes mais rápido, os ursos polares estão diretamente ameaçados pela redução da camada de gelo. Em um primeiro momento, o aumento da temperatura e das emissões de gás carbônico podem ter efeitos positivos para o crescimento das plantas nas regiões temperadas. Mas, à medida que o calor aumenta, o fenômeno se inverte e a vegetação murcha.
     Em fevereiro, quando foi publicado o primeiro capítulo do informe, o IPCC previu uma alta de 1,8°C a 4°C da temperatura média do planeta até 2100 com relação aos níveis de 1990. Cada espécie reage de forma diferente ao calor e atinge mais ou menos rapidamente seu limite de resistência.
     Uma elevação de alguns décimos de grau já seria uma séria ameaça para os frágeis recifes de coral ou para a flora do deserto de Karoo, na África do Sul. Se os corais morrerem, também morrerá uma cadeia de outros invertebrados e as espécies que se alimentam deles, causando a diminuição de numerosos recursos econômicos.

domingo, 6 de novembro de 2011

Os Lugares mais sujos do Mundo !

    Devido a poluição e as contantes variações naturais do planeta, motivada acima de tudo por nós mesmos, é comum lagos e rios poluídos, porém em alguns lugares esses rios são ‘usdos’ como um tipo de praia, de divesão, sei lá pra que porra mais! Só sei que isso é nojento! 







 Garoto indiano caminha pelas águas poluídas do rio Yamuna, em Nova Delhi. A capital nacional é um dos grande culpado na poluição do Yamuna, que representam cerca de 79% do total de águas residuais que são derramadas no rio. Apesar do governo indiano gastar milhões para tentar limpar o rio, a maior parte dele vai para estações de tratamento de resíduos. PHOTO/ Manan VATSYAYANA AFP PHOT


 

 Um homem recolhe peixes mortos no lago Guanqiao em Wuhan, no centro da província chinesa de Hubei, que morreram devido à poluição da água



Um córrego poluído coberta de lixo em Manila, Filipinas, em 01 de Março de 2009. O Departamento de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais relatou em 2008 que as Filipinas hospedam 50 grandes rios poluídos, com uma maioria de poluentes provenientes de resíduos domésticos  



 Indianos procuram por moedas e outros itens valiosos, entre as ofertas de devotos no rio Ganges em Varanasi, em 5 de abril de 2009. Estima-se que 2.000.000 pessoas ritualmente banham-se no rio todos os dias, que é considerado sagrado pelos hindus. Embora o Ganges seja considerado santo, os problemas ecológicos são grandes. Ela está repleta de resíduos químicos, esgotos e até mesmo os restos de cadáveres humanos e animais que causam grandes riscos para a saúde, quer por contato com o corpo, ou por consumo




Livro: 5 Rs por um Mundo Melhor


                   Livro: 5 Rs por um Mundo Melhor
Livro de Rony Fischer e Simone Vale, aborda a sustentabilidade de uma maneira prática e divertida. A garotada poderá aprender, passo a passo, dicas e atitudes desejadas para cuidar do planeta com mais respeito e responsabilidade.




Vídeo Desmatamento - Desenho Animado Ambiental

Poluição Urbana - Desenho Animado Ambiental

Organizações civis se unem contra caça de baleias


Medidas diplomáticas e de rechaço à dita caça para fins ‘científicos’ na Antártida, realizada na realidade com caráter comercial pelo Japão, é o que desejam as organizações que trabalham com conservação marinha na região, segundo a carta entregue a 14 países do Grupo Buenos Aires, entre eles o Brasil.

Segundo a denuncia das organizações, a cota anual de baleias caçadas sob o programa JARPA II, iniciado em 2006, aumentou quase 50% ao ano devido a concessões especiais, alcançando níveis similares a cota anual de caça comercial à baleia minke antártica antes da implementação da moratória.

A caça para fins ’científicos” é uma prática tolerada pela Comissão Internacional da Baleia (CIB), que proíbe desde 1986 a caça comercial aos cetáceos. “Além de construir uma fachada para encobrir as operações baleeiras de caráter comercial e violar a moratória sobre a caça comercial, o programa representa uma crescente e preocupante ameaça à governança do Oceano Austral, à segurança da vida humana em alto mar e à proteção do delicado ecossistema marinho antártico”, relata a carta.

Segundo José Truda Palazzo, do Centro de Conservação Cetácea Brasil, a CIB atua com base em um tratado arcaico, a Convenção Baleeira de 1946, que permite expressamente através de seu Artigo 8º que os países se auto-outorguem licenças de captura para fins científicos.

“Logicamente, o que o Japão faz é um abuso do direito concedido por esse Artigo, tanto que a Austrália está processando o país na Corte Internacional de Justiça, mas a CIB alega que não pode fazer nada. A CIB se transformou num anacronismo no século XXI, e acredito que a conservação das baleias no plano global estaria melhor se essa Comissão acabasse e fosse substituída por um tratado moderno de conservação dos cetáceos. Mas falta vontade política, mesmo dos países que se dizem “conservacionistas”, para dar esse passo à frente”, afirmou Palazzo.

Além da segurança ambiental contra a caça de animais ameaçados de extinção como a baleia jubarte, as organizações denunciam a quebra do Tratado Antártico como uma zona de paz livre de armas, já que o governo japonês pretende enviar uma embarcação de escolta para proteger a tripulação baleeira.

“É inaceitável que o governo japonês transforme novamente as águas do Santuário de Baleias do Oceano Austral no cenário de massacre de centenas de baleias que se encontram protegidas”, lamentou a diretora executiva do Centro de Conservação Cetácea do Chile Elsa Cabrera.

A carta ainda acrescenta a preocupação sobre a conduta do governo japonês no âmbito da CBI, “mostrando a sua nula disposição em melhorar o funcionamento deste importante organismo”.

As organizações brasileiras que assinaram a carta são: Centro de Conservação Cetácea Brasil, Instituto Baleia Jubarte e Centro Golfinho Rotador.

De acordo com Palazzo, o governo do Brasil mantém uma posição firmemente conservacionista na CIB, graças principalmente à atuação do Itamaraty, mas poderia fazer bem mais.

“Estou convencido de que a proposta brasileira de criação do Santuário de Baleias do Atlântico Sul não prospera porque as gestões que deveriam ser feitas em altíssimo nível, de Presidente para Primeiros-Ministros e outros Presidentes, simplesmente não acontece. Aí, vemos o sujeito do Gabão, de quem o Brasil há pouco perdoou centenas de milhões em dívidas, literalmente xingar a delegação brasileira nas plenárias da CIB e votar com os baleeiros japoneses, e fica por isso mesmo. O Brasil tinha de exercer mais pressão em nível mais elevado pra lograr seus objetivos de conservação no Atlântico Sul” resumiu o ecologista, que lançará na semana que vem o livro SOS Baleias.

Histórico

Em uma nota divulgada em fevereiro, o Grupo Buenos Aires já havia reafirmado seu “compromisso com a conservação das baleias, a manutenção da moratória comercial em vigência desde 1986, a promoção do uso não letal do recurso e o respeito à integridade dos santuários baleeiros reconhecidos pela CBI”, rejeitando a caça dos cetáceos.

Logo após esta manifestação, o governo japonês decidiu suspender sua campanha de caça às baleias na Antártida até o final da temporada passada, porém motivado pela “dificuldade de se garantir a segurança das tripulações diante do assédio incessante da Sea Shepherd”, alegou na ocasião o ministro da Agricultura e Pesca, Michihiko Kano.

As capturas da frota japonesa, que tem uma cota anual de cerca de mil cetáceos, foram reduzidas para 507 baleias no ano passado, fato que a Agência de Pesca atribuiu às atividades de “obstrução” da Sea Shepherd.

O Japão anunciou no início de outubro que vai regressar às águas da Antártida a partir de Dezembro para caçar. Mas desta vez, a frota baleeira terá uma escolta nipônica para proteção contra os navios ecologistas da Sea Shepherd.

A ONG mobiliza várias embarcações para seguir a frota japonesa, utilizando cordas para bloquear as hélices dos navios japoneses e colocando-se entre estes e as baleias. A organização garante ter conseguido evitar a morte de 800 animais.

Outras ameaças

Em meio a este embate, a Convenção sobre Conservação de Espécies Migratórias de Animais Selvagens sob o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP/CMS, em inglês) divulgou um relatório que detalha as mais recentes descobertas científicas sobre a distribuição, migração, comportamento e ameaças aos cetáceos.

O alerta trazido pelo relatório é diretamente relacionado ao bycatch, ou seja, a captura de espécies diferentes da espécie-alvo na pesca. A constatação é que 86% dos Odontoceti, uma subordem de cetáceos popularmente chamada de baleias com dentes, como as a cachalote e os golfinhos, morrem emaranhados em armadilhas, redes de emalhar e de arrasto, espinhel e outros aparatos pesqueiros.

Além disso, a sobrepesca das suas presas também foi identificada como uma ameaça a 13 espécies em 2011 em comparação com 11 em 2001. O relatório enfatiza que a caça local, matanças ou capturas deliberadas são ameaças graves.

A secretária executiva da UNEP/CMS Elizabeth Mrema, comentou que lidar com estas ameaças exige regulamentação internacional e que durante a 10 ° Conferência das Partes da CMS em novembro será discutida a adoção de um Programa de Trabalho Global para Cetáceos.

*publicado originalmente no site do CarbonoBrasil.



sábado, 5 de novembro de 2011

Fluxo: Pelo Amor à Água (1/8)

Poltrona de garrafas pet



COMO FAZER - POLTRONA DE GARRAFA PET


POLTRONA DE GARRAFA (PET)

Eu ainda não fiz, mas como sei que muitos gostariam de aprender, resolvi colocar aqui .

MATERIAL UTILIZADO:
tesoura
136 garrafas de PET (garrafas de refrigerantes da mesma marca)
rolo de fita adesiva transparente (fita utilizada para fechar caixas de papelão)
cola branca rótulo azul (cascorez) ou cola de contato (sapateiro)
papelão
espuma de 3cm de espessura
tecido para estofar

MONTAGEM:

1) Retire o rótulo, lave e seque muito bem as 136 garrafas.

2) 32 garrafas sem as tampas serão cortadas. Se utilizar garrafas de coca-cola aproveite a marca que a própria garrafa já possui e faça nesta marca o corte, se utilizar outra marca de refrigerante medir da tampa em direção ao meio da garrafa 13 cm, marcar com caneta hidrocor e fazer o corte separando a garrafa em duas partes.

3) Encaixe a parte de cima (com o bico) dentro do corpo da garrafa. O bico deverá encostar no fundo da garrafa. Fazer este processo com as 16 garrafas.

4) As outras 16 garrafas inteiras e tampadas deverão ser encaixadas uma a uma dentro de cada garrafa cortada. Tome o cuidado de fazer a mesma pressão em todas elas para as peças ficarem do mesmo tamanho.

5) Agora chegou a vez de prender as garrafas para formar o assento. Junte no mesmo sentido duas peças montadas, isto é, bico com bico e prenda-as com a fita adesiva dando 3 voltas na mesma direção. Esta fita deverá ser presa com uma certa pressão, pois assim as garrafas ficarão bem presas. Forma-se então 8 duplas.

6) Juntar novamente as duplas em dois em dois, passar a fita adesiva. Não esqueça de colocar as duplas no mesmo sentido. Feito isto teremos 4 grupos de quatro peças.

7) Coloque um grupo sobre o outro e passe a fita adesiva, fazer este processo até o quarto grupo de garrafas. Está pronta a estrutura.

8) O lado do pufe que ficará no chão é do lado do bico, pois é mais resistente.

9) Iremos agora confeccionar os braços da poltrona.

Utilizar 40 garrafas limpas e secas, 8 garrafas ficarão inteiras e com as tampas, 32 garrafas deverão ser cortadas. Se utilizar garrafas de coca-cola aproveitar a própria marcação da garrafa e fazer o corte, se for garrafas lisas medir 13cm e cortar.

10) Encaixe a parte de cima (com o bico) dentro do corpo da garrafa. O bico deverá encostar no fundo da garrafa. Fazer este processo com as 32 garrafas.

11) Para montar cada peça, encaixar 4 garrafas cortadas uma dentro da outra e finalizar com uma garrafa inteira. Com este procedimento teremos no final 8 peças que serão os braços (4 para cada lado).

12) Juntar agora duas em duas as peças, prendê-las com a fita.

13) Prender as duplas formando 4 peças. Estão prontos os braços.

14) Utilize um grupo de 4 peças na lateral do assento e prenda-o também com a fita adesiva.

15) Faça o mesmo procedimento do outro lado.

16) Confeccionaremos o encosto da poltrona. Utilize as 64 garrafas restantes. 60 garrafas serão cortadas e 4 permanecerão inteiras e com as tampas.

17) Para cortá-las e montá-las utilizar o procedimento do braço.

18) Prender o encosto utilizando também a fita. Está pronta a poltrona, falta agora estofá-la.

19) Para montar o assento utilize o papelão colando-o nas garrafas.

20) Cole sobre o papelão a espuma. Se desejar pode colar também a espuma nas laterais, encosto e braços

21) Por último, faça uma capa com o tecido e encape o pufe. Pode também utilizar juta, courino, jeans, etc



quinta-feira, 3 de novembro de 2011

AMBIECO: A AMBIECO no 1º Seminário Multidisciplinar em Nite...

AMBIECO: A AMBIECO no 1º Seminário Multidisciplinar em Nite...: No u ltimo sábado 29 de outubro, estivemos presente em um projeto que com certeza irá se consolidar em Niterói. O evento contou com a...

Triângulo dos Corais

      

Vista aérea da costa de Camarines Sur coast e as ilhas, Bicol, Filipinas.




Uma jornada de 18 meses feita pelos fotógrafos Jürgen Freund e Stella Chiu-Freund pelo Triângulo dos Corais acaba de render um livro de 272 páginas revelando a biodiversidade marinha da área de 6 milhões de km2 que se estende pela Indonésia, Malásia, Filipinas, Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão e Timor Leste.


A obra inclui mais de 400 fotos que destacam a incrível abundância de vida na região, mostrando espécies de recifes de coral, baleias, golfinhos, tubarões além dos coloridos peixes que vivem entorno dos recifes. Abaixo uma seleção das fotos de Jürgen Freund e Stella Chiu-Freund. Além disso você pode navegar por uma cópia eletrônica do livro. 





quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Casa feita com Garrafa Pet


Vejam que belo projeto desenvolvido na Argentina chamado La casa de botellas. Uma família de artesões motivada a ajudar o meio ambiente decidiu construir uma casa com garrafas pet para evitar que essas fossem jogadas no lixo. Também são empregadas na casa embalagens Tetra Pak, dentre outros materiais.

A casa utiliza em sua construção:

1200 garrafas PET para as paredes
1300 caixas Tetra Pak de leite e de vinho  para o telhado
140 caixas de CD para as janelas e portas
120 garrafas PET para os sofás
200 garrafas PET para a cama










Como fazer Puff de Garrafa Pet passo a passo






       Agora é só usar a imaginação , você pode criar vários tipos , tamanhos e formatos de puff e ainda ajudar ao Meio Ambiente
       Vamos todos à favor da natureza.